Imagens Arquivo do IEB-USP Fundo Mario de Andrade

 

Imagens do livro A Pintura em Pânico

01 de 52
02 de 52
03 de 52
04 de 52
05 de 52
06 de 52
07 de 52
08 de 52
09 de 52
10 de 52
11 de 52
12 de 52

Puis il naquit d’un trombone et le trombone le nourrit pendant treize mois, puis il fut sevré et confié au sable qui s’ éntendai partout car c’était le desert, seul avec le chameau, puis il naquit d’une femme et il fut grandement étonné, et réfléchissait sur son sein, il suçotait, il crachotait, il ne savait plus quoi. (Henri Michaux)

(Então ele nasceu de um trombone e o trombone o alimentou por treze meses, depois ele foi desmamado e colocado na areia, sozinho com o camelo, então ele nasceu de uma mulher e ficou muito surpreso, e refletiu sobre seu peito, ele chupava, cuspia, não sabia mais o quê. - Henri Michaux)

13 de 52

E entre o mar e as nuvens foram surgindo as primeiras formas

14 de 52

e as primeiras fecundações (contra todas as ordens).

15 de 52

Surgiram forças eternas para lutar contra forças idênticas.

16 de 52

Idem

17 de 52

Possivelmente pelo terror das futuras hecatombes.

18 de 52

A poesia em pânico.

19 de 52

A criação pelo vento.

20 de 52

Caim e Abel.

21 de 52

Vêm pássaros da estratosfera visitar-me.

22 de 52

Ah, fui precipitado quando quis fundir as coisas numa só!

23 de 52

A poesia abandona a ciência à sua própria sorte.

24 de 52

A posteridade de Homero.

25 de 52

Tudo se levitando: esta felicidade não era impossível.

26 de 52

A paz das famílias.

27 de 52

Nos primeiros dias viviam no paraíso terreal com alguns frutos manifestos.

28 de 52

Um dia o pequeno sábio La Mettrie-Vauvenargues viu o que o poeta vê: era o fim das imaginações e de tudo: - o plágio.

29 de 52

As coisas começam a engordar, suando dentro de certo ar de luxúria.

30 de 52

Pois sempre desejŠávamos a paz, a paz branca dentro de um saturno diário.

31 de 52

O criminoso lega sua impressão digital.

32 de 52

Contudo permanecíamos inclusos, perenemente.

33 de 52

Os seres conseguem desproporções, a floresta recua: eis os gestos.

34 de 52

Será revelado no final dos tempos.

35 de 52

Ao meio dia, dentro da confusão luminosa voavam seres.

36 de 52

Povoadores do ar.

37 de 52

A era pastoril.

38 de 52

Tudo tinha sido combinado dentro da maior indiferença.

39 de 52

O começo da catequese.

40 de 52

O poeta trabalha.

41 de 52

A invenção da polícia.

42 de 52

L’avertisseur de la catastrophe.
(O anunciador da catástrofe.)

43 de 52

As catacumbas marinhas contra o despotismo.

44 de 52

A poesia de uns depende da asfixia de outros.

45 de 52

A ideia fixa.

46 de 52

Critóvão Colombo descobre a América.

47 de 52

Alpha & Omega

48 de 52

América versus Europa.

49 de 52

Eis o cálice de fel.

50 de 52

O julgamento do tempo.

51 de 52

A poesia abandona a ciência à sua própria sorte.

52 de 52

10 x 0.